Você deveria gostar de Jesse Lingard

lingard

 

Estava pensando em escrever sobre isso desde o jogo de terça-feira, mas o Republik of Mancunia foi mais rápido do que eu e postou.

Vou manter a ideia mesmo assim.

De tempos em tempos, há jogadores do Manchester United que são vítimas dos “boo-boys”. Atletas que aparentemente não conseguem acertar nada aos olhos desses torcedores e qualquer coisa que façam, por mais insignificante que seja, é motivo para críticas.

Imagino que seja comum a outros times também, mas isso não me interessa nem um pouco. O blog é sobre o Manchester United.

A bola da vez é Jesse Lingard.

Ele é o novo Danny Welbeck. A versão mais recente de Lee Sharpe. A reencarnação de Andy Cole pré-1998. Alguém que parece não conseguir ganhar o respeito de uma parte da torcida.

É muito fácil esquecer que Giggs foi sistematicamente vaiado durante a temporada 2001-2002, quando teve a pior fase da sua carreira (e se você vaia Ryan Giggs, está disposto a qualquer coisa). Em 1998, 12 meses antes de fazer um dos gols mais importantes da história do clube, Teddy Sheringham foi colocado por um fanzine na seleção dos piores jogadores da história do United.

Agora é Lingard. Talvez seja a mesma parcela de torcedores que prefira Martial a Rashford, pouco importa que Marcus seja (considerada matemática do tempo em campo x impacto nas partidas), talvez, o melhor jogador do Manchester United na temporada. E ele sequer é titular.

Lingard não é craque, claro. Mas é possível negar que seja jogador útil para ter no elenco. Alguém que, em algumas situações, é capaz de mudar uma partida? O melhor desempenho do time na temporada passada foi contra o Chelsea, em Old Trafford. quando Mourinho escalou Rashford e Lingard no ataque.

Talvez seja porque ele não custou 500 milhões de libras e não foi reforço apresentado por pompa, com hashtags de “bem-vindo” no Twitter e vídeo promocional. Talvez por ser um garoto de Warrington que cresceu adorando o Manchester United e não custou nada ao clube, ele não seja visto no mesmo patamar de jogadores como… Juan Sebastián Verón, comprado por 28 milhões de libras em 2001.

Verón foi um craque, um gênio. Mas não pelo Manchester United, onde não se adaptou, jogou bem por muito (MUITO mesmo!) pouco tempo e foi para o Chelsea. Em Old Trafford, Lingard vale muito mais do que Verón.

Até a comemoração dos gols, em que ele simula tocar uma flauta (e seja lá o que isso significa) é motivo para críticas. Como se não importasse ele ter marcado duas vezes contra o Swansea e sim, como festeja…

Partida, aliás, em que ele foi um dos únicos a ficar mais tempo em campo após o apito final para agradecer aos torcedores que viajaram ao Liberty Stadium. Da mesma forma que, após o último jogo da última temporada, foi ao bar do Hotel Football e ficou por lá, bebendo com torcedores.

Seria um vexame se o Manchester United, o clube dos Busby Boys, da Class of 92, resolvesse considerar um jogador revelado em casa menos valioso do que outro contratado, apenas pelo motivo de ter custado dinheiro.

Para esses sujeitos, nas imortais palavras de Sir Alex Ferguson, “go and support Chelsea”.

 

CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK

SIGA-NOS NO TWITTER

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s