Mais uma vez De Gea. E quando a relação entre Manchester United e Real Madrid azedou

Manchester United v Real Madrid

 

Vamos nós de novo.

Embora tenha prometido que não comentaria boatos de transferências, o “interesse” do Real Madrid por De Gea (que preguiça desses assuntos…) desperta a necessidade de um post. Mais sobre a relação do Man United com o clube espanhol do que a vontade do Real em contratar o goleiro.

Por que o United venderia De Gea? Nem vamos considerar o que o time espanhol fez no caso Morata… David assinou uma extensão de contrato há duas temporadas. Não estão necessitado de dinheiro em Old Trafford. Nem há mais um jogador que Mourinho dissesse ser possível fazer uma negociação de troca. Quer dizer, até há, mas o Real não vai querer ceder os jogadores que caberiam no United (Kroos, Ronaldo, Bale…).

Não sei se vai acontecer, mas seria a hora de Ed Woodward dar o troco e pedir algo como 200 milhões de libras para vender De Gea. Só de sacanagem…

A relação entre os dois clubes azedou nos últimos anos. Começou a ficar ruim em 2008, na verdade, quando Sir Alex ficou tão irritado com o assédio sobre CR7 que comentou: “eu não venderia um vírus para aquela gente”.

Vendeu no ano seguinte por 80 milhões de libras.

O United tentou “sequestrar” a venda de Bale em 2013. Ofereceu 100 milhões de libras, mas o galês estava decidido a ir para Madri. Houve o caso de Sergio Ramos em 2015, quando o Real sabia que o zagueiro apenas estava jogando com van Gaal para conseguir uma renovação no Santiago Bernabéu. A história do fax “que quebrou” na saída de De Gea e chegada de Navas… Uma das histórias mais estranhas do mercado de futebol que eu me lembre.

Foi uma briga que chegou até a atual pré-temporada. Os dois elencos estão em Los Angeles e os dirigentes do Real Madrid ficaram furiosos porque o Manchester United conseguiu o melhor hotel, o Centro de Treinamento mais escondido da imprensa e as instalações mais confortáveis. Vai tornar interessante o amistoso entre os dois nos Estados Unidos. Porque esses jogos antes do início da Premier League não servem para nada, vamos dizer a verdade. Apenas para a gente matar saudade do time. O partida entre as equipes no ano passado teve público superior a 109 mil pessoas.

É curioso porque a relação entre os dois times já foi de solidariedade e amizade. Sir Matt Busby disse que não fosse o Real Madrid, o Manchester United possivelmente teria deixado de de existir após o desastre aéreo de Munique. Não havia dinheiro em Old Trafford e o Real fez uma série de amistosos com o United, levando sempre os titulares, sem cobrar um centavo. O dinheiro das rendas ajudou a manter o nosso clube vivo.

Não bastasse isso, logo após o acidente, o Real Madrid pediu de maneira formal à Uefa que o Manchester United fosse nomeado campeão europeu de 1958. Ofereceu Puskas por empréstimo de graça, o que só não foi possível se tornar realidade por problemas com o visto de trabalho.

Gestos muito bonitos do Real. Mas que ficaram no passado. De Gea é o último exemplo.

CURTA AQUI A NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK

SIGA-NOS NO TWITTER

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s