Por que não Nani, Moyes?

Nani é o jogador mais frustrante que já vi com a camisa do Manchester United.

Seu talento é indiscutível. Rápido, driblador, chuta forte com os dois pés. Se está em um dia bom, pode desequilibrar qualquer partida. Tinha desempenho espetacular  contra o Real Madrid, em Old Trafford, nas oitavas de final da Champions League da temporada passada, até ser expulso de forma absurda e inexplicável pelo árbitro turco Cüneyt Çakır, aquele picareta.

Foi o último bom jogo do português com a camisa do United. Frequentemente,  não consegue justificar a escalação. Perde-se em firulas que não produzem nada e costuma desaparecer em campo.

A inconstância dele irrita profundamente. E se é capaz de desquilibrar quando está bem, ajuda a afundar a equipe se está mal.

Ele está machucado, mas deve se recuperar para a partida de volta contra o Olympiacos, dia 18.

Se eu fosse Moyes, Nani seria um dos primeiros nomes que colocaria entre os 11 escolhidos para começar a partida.

O treinador gosta de jogar com wingers. Certa ou errada, é essa formação que costuma utilizar. Ashley Young, apesar do que muita gente acha, foi um dos raros que se salvou com algum crédito do confronto em Atenas. Mas alguém ainda precisa me explicar o motivo para Valencia, quando chega na linha de fundo, não tentar o cruzamento e, em vez disso, dar uma bomba rasteira para o meio da área.

Nani tem a capacidade de decidir uma partida e seu desepenho é uma incógnita. Mas assim tem sido a temporada do Manchester United. Moyes precisa do inesperado. Uma surpresa capaz de inspirar o time e os torcedores.

Tempos de desespero pedem medidas desesperadas.

A partida contra os gregos pode ser um divisor de águas para o David Moyes. Para o bem ou para o mal. A torcida que lhe dá voto de confiança (ainda grande parte) pode mudar de atitude com mais uma eliminação inesperada. Repetição do futebol visto na primeira partida das oitavas da Champions League é algo impensável.

Vamos ser sinceros. O Manchester United não vai ficar entre os quatro primeiros na Premier League. A única esperança de estar no principal torneio europeu na próxima temporada é ganhá-lo neste ano.

É provável que isso aconteça? Claro que não.

É lógico? Não.

É impossível? Também não.

Mas uma coisa é ser eliminado pelo Real Madrid sendo roubado pelo juiz, como aconteceu no ano passado. Outra é cair diante do Olympiacos, adversário que tem uma equipe bem acertada, mas fraca tecnicamente, com jogadores como Chori Domínguez na equipe titular.

Eu escalaria Nani. Fica a dica, Moyes.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s