Stand by our new manager!

“I’d also like to remind you that when we had bad times here the club stood by me, all my staff stood by me, the players stood by me… Your job now is to stand by our new manager. That is important.”

Sir Alex Ferguson sabia exatamente o que estava falando. No seu discurso de despedida, deixou o pedido de apoio para David Moyes. Porque estava ciente do quanto seria difícil substituí-lo. Ele recebeu a paciência de quase quatro anos antes de conquistar o primeiro título em Old Trafford. Seu sucessor não terá o mesmo tempo. Se é que terá alguma tolerância para ganhar.

Wilf McGuinness, ex-jogador do United, ex-técnico da equipe reserva, foi o sucessor de Matt Busby, escolhido pelo próprio. Não foi agraciado com qualquer prazo para mostrar trabalho. Foi muito atrapalhado por Sir Matt, que nunca “desapareceu”. Dizia quem devia ser contratado e estava no board do clube, como um fantasma. Eventualmente, voltou ao comando da equipe, mesmo que temporariamente.

Busby não conseguia se afastar e ainda achava que aquele time “era seu”. McGuinness ficou tão magoado que perdeu todos os fios de cabelo que tinha na cabeça.

David Moyes possui muito mais experiência. E personalidade. O que não atenua a pressão que já sente. Se a partida contra o Sevilla valesse alguma coisa, a chance de a equipe ter ido para o vestiário, no intervalo, vaiada, era considerável. Não pelo resultado, mas porque jogava muito mal. Mas aquele time em campo estava longe de ser a “formação A” do Manchester United.

Ele vem sendo questionado pela ausência de reforços. É claro que um telefonema de Sir Alex Ferguson dizendo “quero que você venha jogar para mim” tem muito mais peso do que o mesmo chamado de Moyes. Mas ele tem tido problemas também pela mudança no comando do clube. David Gill era raposa velha. Tinha à mão todos os telefones de agentes do planeta. Sabia trabalhar nos bastidores e conhecia, de cabo a rabo, os meandros do futebol. E mesmo assim, não conseguiu comprar Sneijder, lembrem-se….

Ed Woodward, o novo chief executive, reconhece que teve de começar do zero. Não exatamente o momento ideal para isso acontecer. Não bastasse isso, Moyes é sendo obrigado a administrar a crise Wayne Rooney.

Neste domingo, pela primeira vez desde novembro de 1986, o United entra em campo, para uma partida oficial, com outro técnico que não Alexander Chapman Ferguson. É uma partida traiçoeira para Moyes.  Se o United ganhar jogando bem, ótimo. Se bater o rival, mas não convencer, vão aparecer algumas críticas. E se não vencer?

Vencendo ou perdendo, lembrem-se das palavras de Sir Alex.

“Your job now is to stand by our new manager”

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s