Match report, first half – West Ham 0-1 Manchester United (EPL, Upton Park, 5/12/2009)

Vamos fazer diferente hoje. Como o jogo não está passando nos canais brasileiros, um panorama do primeiro tempo que “acabou de acabar”. Em outro post, logo após o apito final, vai o segundo.

É curioso que o Man United, na “era Premier League” sempre se deu bem em Upton Park. Mas nas últimas três temporadas, com três títulos na bagagem, perdeu duas vezes. Em 2008/2009 não, graças a um golaço de Ryan Giggs.

Por que Zola deixa no banco o italiano Diamanti, um jogador habilidoso, com visão de jogo e que lembra (guardadas as devidas proporções) Paolo Di Canio, é algo que não consigo imaginar. Melhor para o United. Especialmente porque Sir Alex teve de mandar a campo uma defesa remendada.

Fletcher na ala direita, Evra na esquerda, Gary e Brown no miolo com Kuzszczak no gol. Fergie premiou as boas atuações de Gibson e Anderson contra os Spurs e os manteve no time ao lado de Scholes no meio de campo. A formação ofensiva foi a mesma que deu certo contra o Portsmouth. Valencia na direita, Giggs na esquerda e Rooney avançado e se movimentando para abrir espaços.

Para completar os problemas, Gary sentiu distensão na virilha por volta dos 20 minutos e Carrick (!) teve de entrar na defesa. Mesmo assim, o West Ham criou muito pouco nos primeiros 45 minutos. A única chance foi criada por um passe errado de Giggs, que Franco só não aproveitou porque o próprio Giggsy se esticou para evitar o gol.

Na frente, Rooney corria muito, mas a defesa do West Ham estava bem postada. Nos 30 minutos iniciais, as duas equipes erraram passes demais, o que fez a qualidade da partida não ser boa. As inversões de jogo de Fletcher e Gibson não funcionavam, assim como os cruzamentos de Giggs.

Mas havia uma deficiência a ser aproveitada: todo o rebote na entrada da área ficava com um jogador do United. Scholes ou Gibson. Dois jogadores que finalizam bem de média distância. Mas eles desperdiçaram quase todas as bolas que sobraram. Quase todaas. Aos 45, Scholesy mandou um rojão que Green ainda conseguiu desviar, mas não evitar o gol.

Não foi um bom primeiro tempo, mas com CSKA Chelski jogando fora de casa e podendo perder pontos (we hope!), os três pontos são imprescindíveis.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s