Match report: Sunderland 1-2 Manchester United (EPL, 11/4/2009, Stadium of Light)

Federico Macheda >>>>>>>> Fernando Torres

Primeiro toque na bola, gol. Dois jogos, dois gols. 30 minutos de futebol, seis pontos garantidos. Fernando who?

Sem TV, dei sorte duplamente. Perdi a hora para ver o jogo do Li******l. Quando liguei a TV, já estava 2 a 0. Fui me preocupar com a escalação e achar um feed decente para ver a partida. Setanta Sports conectada, com transmissão muito boa de som e imagem.

Berbatov e Tevez no ataque, sem Ronaldo e com Rooney aberto pelo lado esquerdo. Wazza consegue ser efetivo em qualquer posição do ataque, mas essa simplesmente não é a posição em que rende mais. No livro “A Strange Kind of Glory”, Eamon Dunphy lembra que Bobby Charlton passou mais de dois anos frustrado, atuando apenas como winger, quando sabia ser atacante para atuar pela faixa central do ataque. Não é isso o que vem acontecendo com Rooney?

Mas ele jogou bem. Criou a jogada do primeiro gol para Scholes, que foi o melhor em campo. Quando acerta passes e consegue ditar o ritmo do jogo, Scholesy é imprescindível.

Naquele momento, o United dominava, embora prejudicado pela letargia de Berbatov. Foi um daqueles dias do búlgaro. Lento, errando jogadas e ausente em campo. Quem me conhece, sabe que abomino comparações com jogadores da Europa com quem está no Brasil, assim como não faço analogias entre clubes e competições nacionais com a do exterior. Mas Berbatov… deixa para lá. Eu ia fazer uma comparação com um atacante brasileiro, mas seria injustiça. Mesmo dormindo, Dimitar é bem melhor.

Mas ele hoje não entrou em campo.

A defesa continua insegura e isso é preocupante. Vidic fez uma bobagem que por pouco não complicou a vida de Ben Foster. Rebatidas erradas e falhas de marcação… mas tem faltado também uma proteção maior à zaga oferecida pelo meio-de-campo.

O Sunderland cresceu em campo, enquanto o United trocava passes no meio-de-campo, pacientemente, esperando que o adversário desse espaço para o segundo gol. Que não veio. Ninguém partia para cima da marcação. Neste sentido, Ronaldo faz falta.

No segundo tempo, veio o castigo. Em lance que Ben Foster poderia pelo menos ter desviado a bola, Jones empatou.

Era um castigo, mas o time precisava acordar em campo.

Entrou Ronaldo para mudar essa situação. Os ataques começaram a acontecer, mas o chute sempre desviava em alguém. Até que entrou Macheda para desviar e dar ao Manchester United a vitória.

Oh, I’d luv to see Macheda on Wednesday. Luv it!

TEXTO ORIGINAL BRAZILIAN RED DEVILS. FAVOR NÃO REPRODUZIR SEM AUTORIZAÇÃO DO AUTOR.

Anúncios

3 Respostas para “Match report: Sunderland 1-2 Manchester United (EPL, 11/4/2009, Stadium of Light)

  1. Believe!!!

  2. Não gostei do jogo, não gostei do United, estou frustrado.

    O time está jogando mal demais, pior que o começo da temporada quando não tinham ritmo de jogo. Temo pelo pior acontecer, frente ao Porto pela Champions League.

    Fazer o que… KEEP THE FAITH!

  3. Macheda salvou o United de novo. Duas vezes.

    De acordo com um velho ditado italiano, “não há dois sem três”.

    Por favor, coloquem o garoto pra jogar contra o Porto na quarta-feira.

    Acreditem.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s