Match report: Manchester United 2-0 Internazionale (UCL, Old Trafford, 11/3/2009)

Let’s sing along as one (ao som de La donna é mòbile):

 “Sit down, Mourinho. Sit down, Mourinho. Sit down, Mourinho. Sit down, Mourinho…”

A torcida inglesa em geral odeia o português. Eu não tenho nada contra. Acho-o extremamente competente e um sujeito divertido nas entrevistas. Mas foi bom vê-lo com o rabo entre as pernas… eu não esqueço da corrida pela touchline para comemorar o gol de Costinha em 2004.

Suck it now, Mourinho!

É difícil controlar as emoções nos minutos seguintes ao jogo. Por isso geralmente deixo os match reports para horas depois do apito final ou o dia seguinte. Mas hey, estou em casa, drinking and cheering. O que pode ser melhor do que compartilhar com vocês mais um momento de glória do maior clube de futebol da história da humanidade?

Eu estava curioso para saber qual seria a estratégia de Sir Alex Ferguson. Não deu para saber. É impressionante o quanto Vidic é uma ameaça em cobranças de escanteio. Tanto quanto Ronaldo.

No primeiro tempo, não gostei de Carrick e Rooney. Erraram passes demais, alguns deles em momentos críticos, que mataram um ataque ou deram ao adversário chance de partir em velocidade. Wazza ainda melhorou depois do intervalo. Mas Carrick, não. Felizmente, quando comecei a perceber isso, Vidic já tinha subido para desviar para o gol.

Com 1 a 0 no placar, o United continuou criando chances, mas aos poucos a Inter foi melhorando porque Mourinho percebeu que Giggs estava desequilibrando. Colou um jogdor nele, reforçou a marcação em Ronaldo e liberou Vieira para ajudar Maicon a jogar nas costas de Evra. Quantas vezes eles buscaram esse lançamento no primeiro tempo? Várias. A trave ajudou a cabeçada de Ibrahimovic. Mas é bom pensar que O’Shea teve a glorious chance para fazer 2 a 0. Ele tinha Berbatov livre ou a opção de tocar por cima do goleiro. Não fez uma coisa nem outra. Normal. O’Sheasy é um zagueiro que foi improvisado na lateral.

Foi uma partida disputada em alta velocidade, do jeito que futebol deve ser praticado. Eu apenas achei que Scholes sumiu de campo em alguns momentos. Também por culpa dos outros. A bola passou pouco por seus pés. Quando estava melhorando, entrou Anderson. Quando isso aconteceu, Ronaldo já tinha feito o segundo.

Viva Ronaldo. Viva Ronaldo. Running down the wing, hear United sing, viva Ronaldo.

Chamou só a minha atenção a maturidade do United em campo? Um time que sabe perfeitamente o que deseja em campo e como atingir seu objetivo. Tomou sustos, é verdade, como no voleio de Adriano, mas isso faz parte do futebol.

De uma certa forma, foi parecido com a partida de 1999. O United dominou boa parte da partida, mas houve momentos em que a Inter levou perigo. Pelo setor esquerdo. Foi de lá que saiu o cruzamento para o peixinho de Zamorano para Schmeichel fazer uma das mais fantásticas defesas da história do futebol. Hoje também não teve nenhuma bola tirada em cima da linha, como Berg salvou o chute de Collonese, sem goleiro, há 10 anos.

O resultado foi o mesmo: Manchester United advances in the UCL.

Poderia ter sido ainda mais fácil. Basta contar, nos dois jogos, quem  criou mais oportunidades claras de gol. Eu ainda não vi as declarações de Mourinho pós-jogo, mas se ele reclamou de alguma coisa, é um tremendo cara-de-pau.

We’re on the way to Rome. Não é possível gostar das noites de Champions League em Old Trafford. Quase tão bom quanto estar no estádio na hora do jogo é estar nos pubs próximos a ele depois do final whistle. Fellow reds cantando com toda a força dos pulmões. Poucas coisa são melhores que isso.

E ainda vem mais por aí.  Man United is on the way to Rome.

United flag is deepest Red

It shrouded all our Munich dead

Berfore their limbs grew stiff and cold

Their heart’s blood dyed it’s ev’ry fold

Then raise United’s banner high

Beneath it’s shade we’ll live and die

So keep the faith and never fear

We’ll keep the Red Flag flying here

We’ll never die, we’ll never die

We’ll never die, we’ll never die

We’ll keep the Red flag flying high

‘Cos Man United will never die

TEXTO ORIGINAL BRAZILIAN RED DEVILS. NÃO REPRODUZIR SEM AUTORIZAÇÃO DO AUTOR.

Anúncios

4 Respostas para “Match report: Manchester United 2-0 Internazionale (UCL, Old Trafford, 11/3/2009)

  1. Pra mim Rooney foi mal hoje, acertou mais nos chutes de fora e um dos setores que eu tenho mais confiança não fez boa partida, Scholes e Carrick que costumam ser impecaveis falharam nos passes e um pouco na marcação, Ronaldo foi bem em alguns lances mais nada que lembre o Gajo que comeu a bola na temporada passada mais nunca deixa de ser um jogador importantissimo pro time. Agora Giggs fez uma baita partida, se tivesse a velocidade de outros tempos teria sido definitivamente um monstro no jogo de hoje.

  2. “A vingança é um prato que se serve frio”.

    É isso aí United.

    Não foi uma boa atuação. Pelo menos no 1° tempo. Carrick e Scholes estavam irreconhecíveis, errando muitos passes. Justamente a maior qualidade de ambos. A defesa teve muito trabalho justamente por isso.

    O time fez o primeiro gol e se acomodou, abdicando do ataque e esperando o tempo correr. Foi aí que a Inter cresceu no jogo e esteve muito perto de marcar. Quando Ronaldo marcou o segundo de cabeça, percebi que já era. Com mais calma, começaram a trocar passes de forma correta e marcar com mais eficiência, saindo rápido nos contra-ataques.

    Não conseguia parar de pensar que Mourinho nos devia uma. 2004, eliminados em casa pelo Porto. Acho que os 75.000 Red Devils presentes no lendário Teatro dos Sonhos pensavam da mesma forma.

    Era impossível não perceber uma aura de vingança traduzida num canto que ecoava por todo Old Trafford:

    “Senta Mourinho, senta Mourinho, senta Mourinho, vai se ferrar”. Acho que era mais ou menos isso.

    Grande partida de Giggs. A zaga tb esteve muito bem, como sempre. Ronaldo foi uma ameaça constante, além de ter deixado o dele. Rooney mostrou pela milionésima vez porque é tão querido pela torcida. O cara dá o sangue em campo. Esse tem sangue correndo pelas veias.

    Agora, as quartas. Algo me diz que o adversário será o Barcelona. De novo. Tudo bem, nada é fácil para o United mesmo. Que venham.

  3. Assistindo a jogos como esse vemos que esse time do United pode ser, se já não é, o maior de toda a história, não só da Inglaterra, mas de todo o mundo.. Estamos invictos à mais de um ano na Champions League, a maior invencibilidade da história batendo o grande Ajax de 1995, estamos invictos em Old Trafford na Champions à mais de 4 anos, estamos disputando todas as competições como favoritos ao título, e ontem até o Mourinho reconheceu que o Manchester United chegou a um nível de perfeição, que nos dá todas as condições de vencer a todas as competições, diferente dos comentários que ele fez nas últimas semanas..
    Só uma coisa me derruba nesse momento, e é saber que a maior lenda da história do nosso clube, Ryan Giggs, impreterivelmente deve se aposentar no fim da próxima temporada, sim, eu sei que ele ainda tem mais um ano, mas ele deixou uma marca na história do Manchester United, ele, junto ao Sir Alex Ferguson, são partes imortais da história do clube que devem ser lembrados para sempre. Existiram dois períodos na história do Manchester United, Antes de Giggs e Ferguson, e Depois de Giggs e Ferguson, duas verdadeiras lendas que demonstraram fidelidade total ao que realmente é o Manchester United..

  4. Só uma palavra: fascinante!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s