O jogador que é um de nós

Se tem um jogador do Manchester United que é contestado (aqui no Brasil, claro, nunca no Centro do Universo), é Gary Neville. Quando os “outros” criticam, eu confesso que não perco o sono. Mas quando isso vem de torcedores (espero) do United, isso realmente me incomoda. 

Nem vou citar o fato de que Gary Neville é um bom lateral. É forte na marcação e vai a frente apenas na segurança, o que é importante quando do outro lado está um jogador que tem no forte os avanços ao ataque (como Evra).  Born and bred em Old Trafford, ele nunca deu menos de 100% pela causa Red Devil.

Um livro que recomendo para qualquer um é Manchester United Ruined My Wife, de David Blatt. Narra as aventuras e desventuras de um torcedor  que segue o clube ao redor da Europa e que ja faz isso há mais de 40 anos. É emocionante, hilariante e leitura obrigatória para qualquer torcedor do United.

No capítulo sobre a final da Champions League de 1999, Blatt dá a sua perspectiva do jogo de quem estava assistindo tudo de trás do gol onde SAS protagonizaram os três maiores minutos da história do futebol. Vou traduzir um pequeno trecho aqui, que fala sobre Gary Neville e que aconteceu antes do início do segundo tempo:

Quando os times voltaram para o segundo tempo, Gary Neville veio em nossa direção, cerrou os dentes e ergueu os dois punhos no ar. Nosso Gary era nós dentro de campo. Sempre foi e sempre será. Giggsy, Scholesy, Keaney, Ruudy, Becksy, Besty, Lawey, Charltony, Ericy, até Ronaldoey – nós os amamos, mas Gary Neville é o maior de todos.

Por quê?

Porque ele é um de nós. Nos nossos sonhos, nós corremos e cruzamos como Giggs, aparecemos do nada e marcamos gols como Scholes, batalhamos e inspiramos como Keane, disparamos canhões como Charlton, comemoramos com os braços erguidos como Lawman, mostramos nosso  estilo como Eric, etc etc etc… Mas quando acordamos, somos meros mortais. Gary Neville é mortal. Ele é cada um de nós. Sua habilidade é limitada mas ele ganhou na loteria dos torcedores. Com a probabilidade de um para 14 milhões, ele é aquele entre nós que todos os momentos de todos os dias agradece sua estrela da sorte por estar vivendo a nossa fantasia. Nunca esquecendo em nenhum momento que ele é um dos nossos no gramado. Dando 150% de si em todos os instantes de todos os jogos, por praticar até a perna doer ele tem feito nosso sonho mortal se tornar realidade. Ele joga como um torcedor do United, saboreando cada momento, sofrendo em cada derrota“. (pág. 207)

Gary Neville is a Red, is a Red, is a Red. HE HATES SCOUSERS.

TEXTO ORIGINAL BRAZILIAN RED DEVILS. FAVOR NÃO REPRODUZIR SEM  PRÉVIA E EXPRESSA AUTORIZAÇÃO

Anúncios

Uma resposta para “O jogador que é um de nós

  1. A raça demonstrada em campo, a qualidade na marcação e os bons cruzamentos. Características fundamentais de um bom lateral. Gary tem essas três e mesmo assim é contestado. Vai entender.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s